Catástrofe no Japão.

Posted by "O que me preocupa não é o grito dos maus, mas sim o silêncio dos bons."

Donos de 80% dos abalos sísmicos do mundo, o Japão foi injustamente castigado por um terremoto que gerou uma tsunami avassaladora.

O terremoto de 8,9 graus na Escala Richter, aconteceu a 124 quilômetros de profundidade, o que é considerado raso, e relativamente perto da costa.
A costa nordeste do Japão foi a área mais atingida.



As réplicas do terremoto foram sentidas e duraram em média dez segundos. As réplicas estão aumentando cada vez mais de intensidade, assim como os próprios tremores.

Sismógrafos da USP (Universidade de São Paulo) registraram aqui no Brasil o abalo.
Até mesmo às 22:30 da noite o Japão ainda tremia.
Linhas telefônicas ficaram congestionadas.

No Brasil, os imigrantes das comunidades japonesas, como o bairro da Liberdade em São Paulo e em Londrina no Paraná, ficaram preocupados com seus parentes e amigos que moram no Japão.

Akiko Fukuwama, uma japonesa que mora em Londrina, foi para o trabalho pela manhã, mas com o pensamento no filho William, que se mudou a pouco tempo para a região atingida.

Este sismo foi o quinto maior da história da humanidade desde que os abalos começaram a serem registrados. Este terremoto deslocou em 25 metros a principal ilha japonesa, a Honshu. Mais ainda, o eixo da Terra também foi deslocado de 10 a 15 centímetros; o que acelerou em 1,6 microsegundos o movimento de rotação de Terra, que já havia sido acelerado com o último grande terremoto, o de 8,8 graus no Chile; enquanto o nordeste japonês afundou 75 centímetros.

Nas primeiras 24 horas após o o grande tremor, foram registradas mais de 160 réplicas, a maioria com magnetude superior a cinco graus. Hoje (15) foi registrado um terremoto de 6,2 graus.

O geofísico Shengzao Chen explicou que o terremoto de sexta-feira (11) no Japão ocorreu quando a crosta-terrestre se rompeu numa área de cerca de 400 quilômetros de comprimento e de 160 de largura, e as placas tectônicas moveram-se mais de dezoito metros.

É a pior crise que o Japão enfrenta, desde o fim da segunda guerra mundial, quando os Estados Unidos lançaram duas bombas atômicas, sobre as cidades de Hiroshima e Nagasake.



Os Estados Unidos carregaram cinco navios com suprimentos. A União Européia também está a disposição para o envio de ajuda humanitária.
Os japoneses solicitaram ajuda internacional no socorro as vítimas.

Por todo o Japão e pelo mundo, corre um boato de que a polícia de uma província no nordeste do Japão confirmou o aparecimento de 2000 cadáveres em uma praia.

Há mais de 27.100 pessoas mortas ou desaparecidas no nordeste japonês.
Estima-se que hajam 700.000 desabrigados em todas as áreas afetadas.
Falta luz, água, comida, comunicação; em outras palavras, falta literalmente tudo. E ainda o frio traz junto a neve, para agravar a situação dos desabrigados.
Neste segunda-feira (14) o governo deu início a um racionamento de energia elétrica.
52.000 prédios e casas foram destruídos ou danificados.


Fukushima, é um nome que significa "Ilha da boa sorte". E é para essa cidade, que até pouco tempo atrás era desconhecida do resto do mundo, que a comunidade internacional volta suas atenções. O governo japonês confirmou o vasamento combustível nuclear na usina de Fukushima. Os prédios dos reatores 1, 3 e 4 explodiram após superaquecimento dos reatores, liberando parte desse combustível em pequena escala.

-Existem três tipos de radiação:
Alfa, Beta e Gama.
A radiação alfa causa danos mínimos à saúde humana e não penetra pelo tecido epitelial.
A radiação beta penetra na pele, e pode causar até serias queimaduras.
A radiação Gama é a mais nociva de todas, que penetra no corpo por inteiro; podendo danificar células, quebrando ou alterando as moléculas de DNA e causando graves doenças como câncer.-

Os japoneses cobram mais transparência da empresa responsável pelas usinas que passa informações de maneira desorganizada e imprecisa. Esta mesma empresa já foi processada por falsificação de dados. A população do Japão também cobra mais agilidade do parlamento no repasse de informações à população.

A União Européia fará testes em todas as usinas nucleares do continente.
Alemanha fechará sete usina que foram construídas antes da década de 1980 e que geram 23% da energia consumida pelos alemães.
Franceses e russos vão rever suas usinas e fazer manutenções mais frequentes, mas, ambs os países não falaram em desativas usinas, uma vez que, 70% da energia consumida pela França provém de processos nucleares.

Hoje, 16/3, helicópteros militares comçaram a jogar água nos reatores da usina. Essa operação precisa ser repetida pelo menos 100 vezes, para que começe a surtir efeito
A comunidade internacoinal diz que o governo japonês e a empresa responsável estão escondendo as informações. Cinquenta técnicos permanecem na usina arriscando suas vidas diariamente para tentar controlar o superaquecimento dos reatores. O imperador do Japão cobrou transparência do governo e da empresa responsável pela usina.
Segue abaixo um pequeno resumo sobre a situação dos reatores da usina nuclear de Fukushima.
Iremos chamar os reatores de "R" e seus respectivos números:

R1 e R3 : o nível da água dentro dos reatores diminuiu, superaquecendo os reatores. Os vapores liberados criaram uma pressão grande dentro dos reatores, causando as explosões que destruiram o teto dos prédios.
R2: a explosão foi no condensador.
R4: não há água para resfriar o reator, e a radiação está vasando.

O Japão informou à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) que engenheiros conseguiram colocar um cabo de energia da rede externa na unidade número 2 da usina nuclear de Fukushima, informou a ONU nesta quinta-feira (17). "Eles planejam religar a energia à unidade 2 assim que o lançamento de água sobre a unidade do reator 3 tiver finalizado", informou a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em um comunicado.

Japão volta a usar helicóptero para jogar água em reator de usina Agência da ONU diz que situação em Fukushima é 'séria', mas não piorou Veja notícias sobre a tragédia
A AIEA acrescentou que pretende "voltar a conectar a energia à unidade 2, uma vez que o borrifado de água sobre o edifício do reator da unidade 3 tenha sido completado".

A volta da eletricidade seria um passo positivo nos trabalhos para iniciar o sistema de refrigeração do reator, que como os outros cinco de Fukushima foi atingido após o terremoto e posterior tsunami da sexta-feira passada.

A AIEA já assinalou nos últimos dias que o compartimento de contenção do reator 2 está parcialmente danificada, o que agrava um risco de fuga radioativa.

Desde a manhã desta quinta-feira, trabalhadores tentaram na quinta-feira conectar um cabo de energia de 1 quilômetro de extensão da rede principal para reiniciar as bombas de água a fim de resfriar o reator número 2.

Na quinta-feira, três pessoas que trabalhavam no reator três foram hospitalizados, depois de terem pisado em água cujos níveis de radiação estavam 10 mil vezes mais altos do que o nível normalmente encontrado em um reator. Isso despertou o temor que o núcleo do recipiente possa estar danificado.

Um funcionário da Tokyo Electric Power Co. (Tepco), operadora da usina, disse em uma entrevista coletiva que os peritos ainda tinham que decidir onde colocariam parte da água contaminada, enquanto os engenheiros ainda tentavam restabelecer completamente o fornecimento de energia da usina.

A Tepco disse que estava usando água doce, em vez de água do mar para resfriar pelo menos parte dos reatores, depois que surgiu a preocupação de que os depósitos de sal possam atrapalhar o processo de resfriamento.

Dois dos reatores da usina estão sendo considerados seguros, mas os outros quatro estão instáveis, emitindo vapor e fumaça, ocasionalmente. Porém, a agência de segurança nuclear disse no sábado que a temperatura e a pressão de todos os reatores havia se estabilizado.




Fontes: G1, R7, Jornal Nacional, Jornal da Record e Jornal da Globo.


Esta postagem poderá ser atualizada a qualquer momento.

2 comentários:

  1. Luiz

    Se foi radiação gama que vasou dessa usina, o mundo se tornará uma grande e pulsante célula cancerígena.

  1. "O que me preocupa não é o grito dos maus, mas sim o silêncio dos bons."

    Não necessariamente Luiz, não se sabe a quantidade de radiação que vasou e quantos países seriam afetados.

Postar um comentário